sábado, 14 de março de 2009

PROCESSOS COGNITIVOS E ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO

Partindo da afirmação de que um dos fenómenos mais enigmáticos da nossa experiência da linguagem consiste no facto de «raramente querermos dizer aquilo que efectivamente dizemos», uma vez que «em regra, queremos dizer ora menos, ora mais , ora coisas diferentes daquelas que os enunciados que produzimos dizem», Adriano Duarte Rodrigues , Professor da Universidade Nova de Lisboa, escreve, no Dossiê Temático da Revista do CEJ dedicado ao Espaço Judiciário Europeu, um texto sobre os processos cognitivos e estratégias de comunicação, que vale a pena ler.

Segundo o autor, «os processos cognitivos consistem num trabalho mental que todos fazemos quando falamos ou quando ouvimos alguém falar, trabalho mental de inferência daquilo que queremos dizer a partir daquilo que dizemos», sendo duas as modalidades de inferência: por implicitação e e por pressuposição.

E fornece vários exemplos.
Apenas um, ilustrativo do processo de inferência por pressuposição, para apelar à leitura:

«Imaginemos que o instrutor de umproceso criminal se volta para o arguido e lhe pergunta:"o que é que você fez depois de ter assassinado a sua vizinha?" Embora o instrutor não diga que o seu interlocutor assassinou a vizinha, a pergunta que formulou só tem sentido e a resposta do interlocutor só é possível se ambos pressupuserem, ou estiverem de acordo acerca do facto de que o arguido assassinou a vizinha. No caso,quer o arguido responsa que foi tomar um café, passear ou trabalhar, telefonar a umamigo ou que não fez nada e se deixou ficar tranquilamente deitado, o simples facto de responder equivale a uma confissão do crime, pressupõe inevitavekmente que fez aquilo que o enunciado do instrutor pressupõe como tendo sido feito antes do que quer que seja que o arguido tenha feito. É provavelmente por essa razão que aos arguidos é facultada a liberdade de não responder às perguntas que lhe são feitas, sob a observação de que tudo aquilo que disser poderá ser tido em conta contra ele».
Enviar um comentário