terça-feira, 18 de setembro de 2012

ONU DENUNCIA: SÍRIA - UTILIZAÇÃO DE CRIANÇAS SOLDADO PELOS OPOSITORES SÍRIOS


Fonte: diariodigital.sapo.pt 

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, denunciou hoje perante o Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, que os grupos armados da oposição síria estão a utilizar crianças como soldados no conflito, que já dura há 18 meses.



«O Gabinete do Alto Comissariado para os Direitos Humanos recebeu uma nova informação que indica que os grupos armados antigovernamentais violaram os direitos das crianças, incluindo a utilização de menores como soldados», afirmou Navi.

A alta comissária discursava no final da sessão em que a comissão de investigação sobre violações dos direitos humanos apresentou a atualização das suas pesquisas, e chamou a atenção sobre a crescente presença de franco-atiradores.

«As informações indicam que tanto as forças do governo como os grupos armados de oposição enviaram franco-atiradores que disparam contra civis», manifestou.

«A cada dia que passa, mais e mais gente está a morrer, e os civis levam a pior nesse conflito que já dura há 18 meses», acrescentou a alta comissária, que lamentou que o governo de Damasco continue sem colaborar com a comissão de investigação e com os órgãos de direitos humanos das Nações Unidas.

O gabinete de Navi continua à espera de uma resposta sobre os pedidos dos relatores especiais da ONU sobre o direito à liberdade de associação e assembleia pacífica e sobre os direitos humanos das pessoas deslocadas, para que possam visitar o país.

Também está pendente um pedido de viagem, à Síria, do relator especial sobre execuções extrajudiciais, sumárias e arbitrárias, já que o governo de Bashar Al-Assad declarou em agosto que «vê de maneira positiva a proposta de visita ao país para fazer recomendações durante o seu mandato».

«As forças governamentais continuam a cometer muitas violações dos direitos humanos, incluindo detenções arbitrárias, tortura, violência sexual e execuções extrajudiciais, incluindo contra mulheres e crianças.

«Há informações, ainda, de que os grupos armados opositores sequestram, torturam e assassinam membros das forças governamentais, das milícias pró-governo e civis», disse a Alta comissária da ONU.
Enviar um comentário