segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Jovens em conflito com a lei - Como elaborar o relatório psicosocial



Liana Fortunato CostaI; Maria Aparecida PensoII; Maria Fátima Olivier SudbrackIII; Olga Maria Pimentel JacobinaIV
IDoutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo, Brasil(1998). Professor Adjunto da Universidade de Brasília , Brasil
IIDoutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília, Brasil(2003). Professor titular da Universidade Católica de Brasília , Brasil
IIIDoutorado em Doctorat En Psychologie pelo Universite de Paris XIII (Paris-Nord), França(1987). Professor titular da Universidade de Brasília , Brasil
IVDoutorado em Psicologia Clínica pela Universidade de Brasília, Brasil(2011). Psicóloga do Secretaria de Desenvolvimento Social e Tranferência de Renda , Brasil



RESUMO
O objetivo do texto é discutir a construção do relatório psicossocial que é enviado ao juiz, sobre adolescentes em conflito com a lei. Propomo-nos discutir como este relatório pode ser construído de modo a não beneficiar unicamente o juiz e ser um instrumento de enriquecimento do processo jurídico e de ampliação da visão dos atores do judiciário sobre a fase de desenvolvimento do adolescente. O documento não deve ser elaborado em uma visão apenas avaliativa, mas de modo a devolver a humanidade aos sujeitos dependentes das decisões judiciais e promover uma perspectiva de intervenção psicossocial. Este relatório deve ser útil, correto e justo para com o adolescente. Sua construção precisa valorizar a família e  reconhecer sua realidade socioeconômica, basear-se na perspectiva da fase de desenvolvimento deste sujeito, enfocar a circularidade das relações que ele mantém em seu meio ambiente e resgatar a proteção que lhe é devida.
Palavras-chave: Adolescente em conflito com a lei; relatório psicossocial; direitos humanos.

Ler o texto aqui: 
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722011000300005


Enviar um comentário