quarta-feira, 25 de março de 2015

Mais uma pessoa inocentada, depois de 23 anos no corredor da morte: a pena de morte em questão

por Lusa   
para continuar a ler: http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=4471772

Debra foi declarada inocente após 23 anos no corredor da morte nos Estados Unidos
Fotografia © Lusa

Debra Mike foi condenada à morte pelo assassinato do seu filho de quatro anos, em 1990, com base num único testemunho de um investigador.

As acusações contra uma mulher de origem alemã há 23 anos no corredor da morte foram levantadas tornando Debra Milke na 151.ª pessoa condenada à pena capital a ser declarada inocente em 40 anos nos Estados Unidos.
Debra Milke, de 51 anos, declarou-se inocente pela morte do seu filho de quatro anos em 1990, no Arizona. Foi, no entanto, condenada à morte com base num único testemunho de um investigador, que disse ter recebido a sua confissão.
A juíza Rosa Mroz declarou formalmente na segunda-feira a retirada das acusações, depois de a acusação ter perdido o último recurso no Supremo Tribunal de Justiça.
Debra Mike, libertada sob fiança em 2013, torna-se assim a segunda mulher no corredor da morte a ser declarada inocente nos Estados Unidos e a 151.ª pessoa desde 1973, de acordo com os dados do Centro de Informação sobre a Pena Capital (DPIC).
Após 23 anos no corredor da morte, sua condenação foi anulada há dois anos por um tribunal de recurso, devido à conduta "ultrajante" do investigador principal.

Enviar um comentário