sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Uma guerra para as próximas décadas: Estudo revela que «Quase um terço dos rapazes acha legítima a violência sexual no namoro e 14,5% das raparigas não considera violência forçar um beijo ou sexo»

Quase um terço dos rapazes acha legítima a violência sexual no namoro e 14,5% das raparigas não considera violência forçar um beijo ou sexo

Um estudo sobre violência no namoro realizado junto de 2.500 jovens revela que quase um terço dos rapazes (32,5%) acha legítimo exercer violência sexual e que 14,5% das raparigas não considera violência forçar um beijo ou sexo.
"Temos 14,5% das raparigas a não reconhecerem que forçar para beijar ou para ter relações sexuais constitui uma forma de violência [sexual], contraponto com mais do dobro dos rapazes (32,5%) que também não o reconhece como tal", revelou à agência Lusa, a criminóloga Cátia Pontedeira, da UMAR, em antecipação à apresentação, a fazer esta sexta-feira no Porto, de um estudo sobre violência no namoro.
O estudo sobre a prevalência e legitimação da violência no namoro, desenvolvido nos últimos quatro meses pela União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), inquiriu jovens do Grande Porto, Braga e Coimbra e conclui que os rapazes legitimam mais os comportamentos violentos do que as raparigas e que da totalidade dos 2.500 jovens, "16% considera normal forçar o/a companheiro/a a ter relações sexuais".

continuar a ler no Expresso
fotografia do Expresso on line
Enviar um comentário